Serviços na Remessa

Transporte Ethernet

transito-ip.png

No serviço de Transporte Ethernet, os dados são transportados através de conexões virtuais ethernet (ponto-a-ponto ou multiponto-multiponto) entre os sites das instituições usuárias. Os dados trocados entre sites são encapsulados assim que deixam a rede interna da instituição e adentram a Remessa, sendo desencapsulados apenas quando forem entregues para a rede interna da instituição destinatária. Por conta dessa característica do serviço os dados enviados por uma instituição não sofrem qualquer tipo de tratamento ou controle, sendo simplesmente transportados do site origem ao site destino. Em outras palavras: a Remessa não se responsabiliza pelo tráfego das instituições usuárias do serviço de transporte ethernet. A conexão dos sites à Remessa é realizada através de interfaces de acesso, também conhecidas como UNI (User Network Interface). A figura ao lado apresenta um retrato da arquitetura do serviço Transporte Ethernet provido na Remessa: Devido ao fato do serviço de Transporte Ethernet não incluir qualquer tipo de controle no tráfego entre os sites, o NOC da Remessa aconselha que as instituições adotem medidas internas de controle. A medida é importante para que problemas como broadcast storm originados em um dos sites não adentre a rede interna de outro site, restringindo o problema apenas ao site já afetado.

Trânsito IP

transito-ip.png

O serviço de Trânsito IP garante à instituição usuária conexão com a internet, fazendo uso do protocolo IP (Internet Protocol) para isso. O serviço de trânsito IP só está disponível para as instituições qualificadas dentro da política de uso da RNP. Para estas instituições qualificadas a conexão com a internet dá-se através de uma rede virtual (vlan) que conecta a rede da instituição ao PoP-BA, que possui o papel de provedor do serviço de internet. A figura ao lado apresenta a arquitetura do serviço de trânsito IP.

Operação

Panorama do tráfego

A rede Remessa é monitorada 24 horas por dia, 7 dias por semana pelos técnicos do Ponto de Presença da RNP na Bahia (PoP-BA). A importância de cada um dos parceiros integrantes da rede é traduzida pela busca constante na prestação de um serviço de alta qualidade. Eventuais inoperâncias nos links da rede são rapidamente evidenciadas e os procedimentos para reestabelecimento são iniciados imediatamente, minimizando os transtornos.

ReMeSSA ReMeSSA2

Monitoramento IPv6

O Monitoramento IPv6 foi desenvolvida pelo PoP-BA com o intuito de auxiliar o projeto da RNP "IPv6 em todos clientes do PoP-BA: Disseminação, implantação e acompanhamento", bem como, o Plano de Disseminação do Uso do IPv6 proposto pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Além disso, o portal também é utilizado como meio de validação da implementação do IPv6 no âmbito de cada Instituição do PoP-BA/RNP.



As funcionalidades da primeira versão são:

  • Estatísticas de quantidade de instituições, teste de IPv6, IPv6 no ponto à ponto e IPv6 no site;
  • Validação de domínio online;
  • Verifica se a instituição tem endereço IPv6 configurado no roteador de borda;
  • Verifica se o domínio tem registro NS com IPv6;
  • Verifica se algum servidor NS está acessível via IPv6;
  • Verifica se a instituição está acessível via o protocolo ICMPv6;
  • Verifica se o site da instituição tem endereço IPv6;
  • Verifica se o site da instituição está acessível via IPv6;
  • Verifica se o domínio da instituição tem registro MX com IPv6;
  • Verifica se o servidor MX da instituição está acessível via IPv6;
  • Verifica se o servidor MX tem registro PTR (reverso) com IPv6.


Somente as instituições conectadas ao PoP-BA estão sendo monitoradas afim de constatar o uso do protocolo IPv6. Disponível em: Monitoramento IPv6.